cursos online

Os impactos do mundo VUCA no futuro da educação

Os impactos do mundo VUCA no futuro da educação, por Marcelo Pimenta

Você já ouviu falar que estamos vivendo em um Mundo VUCA? E que um futuro promissor depende de entendermos o que isso realmente significa e impacta em nós e na nossa educação? Pois é, estes avanços tecnológicos que vemos acontecendo e a velocidade das transformações desta geração, influenciam diretamente na sociedade como um todo, e tudo começa pela a área da educação.

“Vivemos em um mundo Volátil, Incerto, Complexo e Ambíguo.”

De forma sintética, pode-se dizer que o cenário traz diversos impactos por ser muito fluido e líquido, onde tudo muda muito rápido (volatilidade), temos dificuldade em enxergar e prever o futuro (incerteza/uncertainty). Além disso, fica cada vez mais difícil compreender o resultado das situações, pois não existe uma regra apenas (complexidade) e os problemas podem ter múltiplas saídas e respostas (ambiguidade).

Portanto a única coisa certa que temos é que o Mundo VUCA muda tudo. Nem mesmo a educação, que por muitos anos tem resistido às mudanças, está passando ilesa a este fenômeno. As principais mudanças? Confira a seguir:

 

O futuro da educação – Veja os impactos do mundo VUCA na educação:

1. Aprender a aprender

Com um cenário totalmente veloz com transformações rápidas, não basta apenas decorar ou ter informações sobre um conteúdo em si. Os estudantes precisam aprender a aprender, compreender e aceitar novos métodos, mais eficazes e criativos para absorver a informação e fazer dele um efetivo conhecimento.

2. Aprender a DESaprender

Além de provar novas fórmulas, é preciso abrir mão de velhos paradigmas e esquecer velhos caminhos em busca de outras possibilidades de aprendizado. É preciso que tanto o professor quanto o alunos estejam dispostos a reconstruir uma nova maneira de chegar ao conhecimento em conjunto e não mais de uma forma unilateral sem participação e interação.

3. O professor como facilitador

Neste Mundo VUCA, o professor deixa o papel do único detentor do conhecimento e senhor da verdade. Ele passa a ser um orientador, que aponta algumas direções, tira dúvidas, oferece problemas e desafios de forma que o próprio aluno tenha autonomia para encontrar a solução.

4. O estudante como protagonista

Como as informações em si estão distribuídas e acessíveis a todos, o aluno também é um agente “dentro da sala de aula”, que acrescenta, atualiza, recorre às suas experiências para criar um ambiente totalmente inovador e sem um padrão pré-formatado de aprendizado.

5. Engajamento, Experiência e Gamificação

A antiga sala de aula com carteiras enfileiradas devem ser urgentemente repensadas, assim como a dinâmica e os métodos de avaliação. A gamificação vem para trazer uma nova perspectiva de começo, meio e fim, vitórias derrotas e aprendizado com os erros. Quanto mais o aluno for exposto a situações mais parecidas com a realidade do mundo, melhor preparado ele vai estar e menos propenso a decepções e frustrações.

6. A experiência emocional é a que fica

Esqueça os imensos currículos que apenas listam por onde você passou. O que vai contar mesmo é como você passou, quais foram as suas contribuições e seus aprendizados. O conhecimento, sem dúvidas, continua sendo um fator chave, mas a emoção e a forma como você lida com todas as complexidades do mundo faz de você uma pessoa melhor e mais preparada.

7. Online e Offline estão cada vez mais integrados

Engana-se quem afirma que no futuro somente o virtual vão prevalecer. Somos seres sociais por essência e isso tecnologia alguma vai acabar. O que acontece é que as ações físicas e virtuais vão ficar cada mais alinhadas e integradas de forma complementar. Por exemplo, os alunos podem contar com a orientação do professor online e fazer pesquisas em casa, mas a concretização do projeto é feita offline, de modo que permita o debate e o compartilhamento dos aprendizados. Isso vale também para os novos formatos de trabalho.

LEIA TAMBÉM:

[Cenários Diga Olá – Diga Adeus]: O Futuro em 2025 – Como passaremos nosso tempo livre.

Em uma perspectiva ampla, pode-se afirmar que a educação já vem se adaptando a todas essas transformações, mas ainda há um bom caminho pela frente. Tentar frear as transformações será em vão, portanto sofrerá menos quem se adaptar mais rápido ao mundo VUCA e todas as oportunidades e avanços que ele tem a nos oferecer.


O futuro da educação

Já leu essa aqui?

No Banner to display